No dia 15 de julho, o Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, voltará a receber passageiros para embarque e desembarque.

No último mês e meio, esses processos foram realocados para um shopping center nas proximidades de Canoas, com voos decolando de uma base militar. Essa foi uma solução temporária enquanto Salgado Filho lidava com os danos das recentes enchentes.

A empresa de gestão Fraport Brasil busca otimizar as operações em meio aos desafios atuais.

Embora os serviços de passageiros estejam retornando para Salgado Filho, todos os voos continuarão operando a partir da base de Canoas, a apenas dez quilômetros de distância.

As operações diárias no aeroporto vão das 6h às 21h, usando partes não danificadas do terminal. Os passageiros precisam chegar três horas antes, pois os portões de embarque fecham 90 minutos antes dos voos.

Aeroporto de Porto Alegre, no Brasil, reinicia serviços de passageiros. (Foto reprodução da Internet)

A configuração do terminal agora suporta as necessidades de viagens internacionais do check-in ao embarque. As entradas são limitadas às portas 5 e 6, com verificações de segurança localizadas no terceiro andar. Após o check-in, os ônibus transportarão os passageiros até a aeronave em Canoas.

Viajantes retornando inverterão essa rota. Ao desembarcar em Canoas, ônibus os levarão de volta a Salgado Filho para retirada de bagagem.

Durante todo o processo, a Fraport garante que ninguém navegue entre o aeroporto e a base sem supervisão.

O terminal também conta com serviços adaptados, incluindo pontos de alimentação para atender às necessidades dos viajantes. Além disso, o Estacionamento 2 oferece tarifas especiais, e aluguel de veículos está disponível no terminal.

Esta reabertura parcial marca um passo crucial na recuperação das perturbações causadas pelas tempestades de primavera.

A retomada total das atividades aeroportuárias, incluindo serviços de carga, depende de uma avaliação detalhada de segurança das pistas, prevista para o final do ano.

Esse progresso lento, mas constante, é vital para restaurar a conectividade regional e apoiar as economias locais dependentes do transporte aéreo.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *