Expectativa é vacinar ao menos 90% do público prioritário, estimado em cerca de 360 ​​mil pessoas na Capital

Secretária de saúde imunizando cacique de Marçal de Souza (Foto: Divulgação/Sesau)

Campo Grande deu início à vacinação contra a gripe no dia 21 de março, antecipando o calendário nacional. A campanha deve ocorrer até dia 31 de maio, conforme o cronograma do Ministério da Saúde e, devido à baixa adesão de grupos prioritários, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) está realizando neste sábado (13) o “Dia D” de vacinação na Aldeia Urbana Marçal de Souza, no Bairro Tiradentes.

A expectativa é vacinar ao menos 90% do público prioritário, estimado em cerca de 360 ​​mil pessoas em Campo Grande. Desse total, 14 mil são indígenas, sendo aproximadamente 600 moradores de Marçal de Souza.

Apesar de três semanas completas de campanha, apenas 10% do público prioritário foi imunizado, resultando em um aumento significativo de atendimento de casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em unidade de saúde da Capital.

“Esse é um período, principalmente entre maio e junho, que começa a ter aumento das síndromes de casos adversos e se uma pessoa está imunizada ela não vai ter a forma grave, essa é a intenção: evitar internação, evitar óbito. É importante vacinar agora”, ressaltou a secretária municipal de SaúdeRosana Leite de Melo.

Criança indígena sendo imunizada na oca da aldeia (Foto: Divulgação/Sesau)
Criança indígena sendo imunizada na oca da aldeia (Foto: Divulgação/Sesau)

A gripe é uma doença viral que afeta o sistema respiratório, sendo altamente contagiosa, com incidência global e propensão a se espalhar facilmente em surtos sazonais, além de poder desencadear pandemias.

“A Marçal de Souza é sempre um ponto que tem vacinação e é muito importante a prevenção com essa ação na porta de casa para facilitar o acesso. É preciso chamar a atenção da população para o baixo número de adesão. A vacinação é uma forma essencial de prevenção e dever de todos”, comentou o cacique da comunidade, Josias Jordão.

Miss indígena Vitória Antônio recebeu o imunizante (Foto: Arquivo Pessoal)
Miss indígena Vitória Antônio recebeu o imunizante (Foto: Arquivo Pessoal)

Ciente da importância da imunização, a senhorita indígena Vitória Antônio, 23 anos, aprovou uma ação itinerante da Secretaria de Saúde para colocar a caderneta de vacinação em dia. “É uma questão de saúde, não só para mim, mas para todos os moradores da nossa comunidade. É uma coisa que a gente precisa aprender a ter, que tem muitas pessoas que tem medo de ser vacinada, a gente precisa aprender a praticar, ir no posto, querer ter uma carteira de vacinação atualizada”, disse a indígena terena.

Dianita Antônia, 41 anos, moradora da comunidade, que está com todas as vacinas em dia, levou a família toda para vacinar na ação promovida pela prefeitura, e ressaltou a importância da prevenção. “Temos que cuidar da saúdeentão por isso é muito importante para gente se prevenir”, destacou.

A ação da prefeitura na Aldeia Indígena Marçal de Souza teve início às 7h30 e segue até às 16h30 deste sábado. As aplicações estão acontecendo na Oca “Memorial da Cultura Indígena Cacique Enir Terena”, localizada na Rua Terena, 88 – Tiradentes. Qualquer pessoa que faça parte do público-alvo pode ser imunizada. (Confira a lista abaixo)

Grupos prioritários:

  • Crianças de 6 meses a menores de 6 anos;
  • Pessoas de 60 anos e mais;
  • Gestantes;
  • Puérperas;
  • Indígenas vivendo fora de terra indígena;
  • Indígenas vivendo em terra indígena;
  • Trabalhadores de saúde;
  • Pessoas com deficiência permanente (a partir de 12 anos);
  • Adolescentes em medidas socioeducativas (menores de 18 anos);
  • População privada de liberdade (18 anos e mais);
  • Funcionário do sistema de privação de liberdade;
  • Pessoas com comorbidades;
  • Professores;
  • Pessoas em situação de rua;
  • Forças de segurança e salvamento;
  • Caminhoneiros;
  • Trabalhadores de transporte coletivo rodoviário passageiros urbanos e de longo curso;
  • Trabalhadores portuários.

Neste ano, a vacina disponibilizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) é eficaz contra três tipos de cepas de vírus em combinação: a. A/Victoria/4897/2022 (H1N1)pdm09; b. A/Tailândia/8/2022 (H3N2); c. B/Austria/1359417/2021 (linhagem B/Victoria), conforme a Instrução Normativa (IN) no 261, de 25 de outubro de 2023, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal fazer Notícias Campo Grande e siga nossos redes sociais.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *