Na Colômbia, está em curso um debate crucial sobre a reforma do sistema de pensões do país, que ocupa o 41º lugar entre 44 a nível mundial em termos de eficiência.

Este sistema tem dificuldade em proporcionar rendimentos de reforma estáveis ​​e, com apenas 27% dos idosos a receber uma pensão e cerca de 20% a viver na pobreza, a necessidade de reforma é urgente.

Os critérios de avaliação dos sistemas de pensões incluem saúde, qualidade de vida, bem-estar material e estabilidade financeira durante a reforma.

Estas são áreas onde a Colômbia procura desesperadamente melhorias, conforme destacado por um relatório recente da Natixis Investment Managers.

Tanto os idosos que se aproximam da reforma como as gerações mais jovens que começam a planear o futuro apelam a mudanças para garantir uma reforma segura e digna.

O planejamento estratégico da aposentadoria desde tenra idade é essencial. A Fiduciaria de Occidente sugere vários passos para melhorar os resultados.

Como melhorar o sistema de pensões da Colômbia, um dos piores do mundo. (Foto reprodução na Internet)

Recomendam a criação de um fundo de emergência para lidar com dificuldades financeiras inesperadas e o desenvolvimento de um plano de poupança robusto que cubra a saúde, as condições de vida e as necessidades de rendimento durante a velhice.

Notavelmente, apenas 15,2% dos colombianos estavam a poupar em 2021, indicando uma oportunidade significativa de melhoria.

As empresas fiduciárias desempenham um papel vital na Colômbia

Um plano de reforma completo deve ter em conta as diferentes fases da vida e situações de emprego.

Deve centrar-se na acumulação das semanas necessárias de contribuições, na determinação do montante da pensão desejada e no planeamento dos custos de vida essenciais nos anos posteriores.

Aconselha-se também a diversificação dos investimentos, que poderá incluir opções como a geração de rendimentos de rendas, a detenção de depósitos a prazo ou o investimento em Fundos de Investimento Colectivo adequados a diversos perfis de risco.

As empresas fiduciárias desempenham um papel vital na Colômbia, gerindo cerca de COP 90 biliões (235 mil milhões de dólares) em nome de mais de dois milhões de clientes.

Estes fiduciários, regulamentados pela Superintendência Financeira da Colômbia e orientados por especialistas certificados pela AMV, são cruciais na criação de um sistema de pensões resiliente e inclusivo.

Este sistema visa oferecer aos colombianos um caminho para a independência financeira e a estabilidade na reforma, abordando as actuais ineficiências e construindo um futuro mais seguro.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *