A Índia está enfrentando uma grave crise energética agravada por uma onda de calor precoce e severa, causando escassez de energia em todo o país.

Essa situação ressalta a necessidade urgente de diversificar as fontes de energia da Índia em meio ao aumento das temperaturas e às mudanças nos padrões climáticos.

A dependência do país em relação ao carvão é profundamente enraizada, com usinas movidas a carvão produzindo 70% de sua eletricidade.

No entanto, essa dependência contrasta fortemente com a mudança global de afastamento dos combustíveis fósseis.

Apesar dos avanços significativos em energia renovável, alcançando 179 gigawatts de fontes limpas, a balança continua inclinada para o carvão.

Crise climática na Índia: dilema energético em meio à onda de calor. (Foto reprodução da Internet)

Essa preferência decorre em parte da proximidade com grandes centros populacionais e dos menores custos de transmissão.

No entanto, isso entra em conflito tanto com as metas climáticas da Índia quanto com o bem-estar de suas populações indígenas, particularmente a comunidade Adivasi, ameaçada por projetos de mineração em larga escala.

O déficit de energia é destacado pelas temperaturas recordes que a Índia experimentou, incluindo o março mais quente desde 1901.

As temperaturas de abril nas regiões norte e central também foram as mais altas em 122 anos.

Essas condições levaram a várias consequências, incluindo fechamentos prolongados de escolas, quebras de safras e aumento de emergências hospitalares devido a frequentes apagões de energia que duram até sete horas.

Crise energética da Índia

A Autoridade Central de Eletricidade relata que, das 165 usinas de carvão da Índia, 94 estão enfrentando suprimentos de carvão criticamente baixos, sobrecarregando ainda mais a infraestrutura energética.

Esta crise não se deve apenas à escassez de carvão, mas também decorre de previsões e planejamento logístico inadequados no transporte de carvão.

Analistas preveem uma queda temporária na demanda, mas esperam que ela aumente novamente com o início das monções, o que também representa riscos de inundação de minas de carvão e interrupção do fornecimento.

A solução não está na expansão da mineração de carvão, como sugerem as controvérsias em andamento sobre o projeto Deocha-Pachami.

Este projeto pode se tornar a segunda maior mina de carvão do mundo. Este projeto simboliza a tensão entre desenvolvimento econômico e sustentabilidade ambiental.

Ela ameaça comunidades locais com deslocamento e degradação ambiental.

Para mitigar esses desafios, a Índia precisa se concentrar agressivamente em aumentar sua capacidade de energia renovável e garantir sua confiabilidade.

Tais medidas são cruciais não apenas para lidar com a escassez imediata de energia, mas também para se alinhar aos padrões ambientais globais.

Eles visam proteger as comunidades locais dos impactos adversos da dependência do carvão.

A crise energética, portanto, apresenta uma oportunidade para a Índia redefinir sua abordagem, equilibrando as necessidades de desenvolvimento com práticas sustentáveis.

Isso garante um futuro resiliente em um cenário de crescentes desafios climáticos.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *