Os fabricantes chineses de veículos elétricos (EV), incluindo a BYD, estão acelerando as remessas para o México e o Brasil. Esta medida responde aos iminentes aumentos tarifários e restrições comerciais dos EUA.

Os EUA anunciaram uma tarifa de 100% sobre os veículos elétricos chineses a partir de maio. A correria começou em março e continuará até junho, impactando significativamente a logística de transporte.

O Brasil restabeleceu as tarifas sobre veículos elétricos, isentas desde 2015. O imposto, inicialmente fixado em 10% em janeiro, aumentará para 18% em julho e atingirá 35% em julho de 2026.

Consequentemente, os preços dos contentores marítimos para a rota China-Brasil dispararam. Os custos agora ultrapassam US$ 6.000, em comparação com US$ 1.500 no início deste ano.

As exportações de EV da BYD aumentaram mais de 150% no primeiro trimestre de 2024, com 15.700 unidades enviadas para o Brasil.

Fabricantes chineses de veículos elétricos migram para o México e o Brasil em meio às tarifas dos EUA. (Foto reprodução na Internet)

A BYD também está acelerando a construção de uma nova fábrica no Brasil para atender à crescente demanda local. Além disso, a BYD planeja construir uma nova fábrica no México.

No entanto, o México está sob pressão de Washington para se distanciar das montadoras chinesas.

A administração Biden sugeriu novas penalidades se os fabricantes chineses de veículos elétricos transferirem a produção para o México para evitar as tarifas dos EUA.

Os custos de envio da China para o México e o Brasil aumentaram devido ao aumento da demanda.

O Índice de Frete Contêinerizado de Xangai mostra um aumento de 55,8% nos preços do frete entre o final de janeiro e o final de abril.

Esta tendência destaca o impacto significativo da procura chinesa de exportação de VE nos preços de transporte marítimo.

A Europa está investigando os subsídios chineses aos veículos elétricos e pode impor tarifas até julho. Esta investigação, juntamente com as tarifas dos EUA, reflecte um esforço mais amplo para conter a influência dos fabricantes chineses de veículos eléctricos.

Apesar destes desafios, os fabricantes de automóveis chineses continuam empenhados em expandir-se globalmente, concentrando-se em mercados mais abertos aos seus veículos.

As tarifas dos EUA fazem parte de uma estratégia mais ampla para proteger os fabricantes de automóveis nacionais e reduzir a dependência das importações chinesas.

No entanto, esta medida limita o acesso dos consumidores norte-americanos a veículos elétricos chineses de alta qualidade e acessíveis. Por exemplo, a BYD oferece modelos na China a preços significativamente mais baixos do que modelos comparáveis ​​nos EUA.

Montadoras chinesas expandem presença global

As montadoras chinesas pretendem estabelecer fábricas no exterior, como as novas fábricas da BYD no Brasil, Hungria, Tailândia e Uzbequistão.

Eles também estão considerando uma fábrica no México. Esta estratégia permite-lhes ultrapassar as barreiras comerciais e alcançar os mercados internacionais.

O panorama geopolítico está a mudar à medida que a China e a Rússia fortalecem os seus laços.

O presidente chinês, Xi Jinping, e o presidente russo, Vladimir Putin, reuniram-se recentemente em Pequim para discutir a expansão da cooperação económica.

Esta parceria é crucial no contexto do conflito em curso na Ucrânia e das sanções ocidentais à Rússia.

Em conclusão, os fabricantes chineses de veículos eléctricos estão a ajustar rapidamente as suas estratégias para lidar com as novas tarifas dos EUA e expandir a sua presença global.

O foco no México e no Brasil destaca os seus esforços para contornar as barreiras comerciais e alcançar novos mercados.

Este desenvolvimento sublinha a complexa interação do comércio global, da política e da indústria automóvel em evolução.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *