Um fator-chave no ressurgimento do cinema no Brasil no final da década de 1990, Globo Filmes co-produziu sucessos de bilheteria icônicos, peças do Oscar e do “A” Fest, sucessos de arte. filmes que geram grandes spin-offs de TV. Uma breve seleção de marcos em sua história:

1990

  • O governo do presidente Fernando Collar fecha a empresa cinematográfica estatal Embrafilme, dizimando a produção cinematográfica brasileira.

1993

  • Uma nova Lei do Audiovisual oferece às empresas deduções no imposto de renda para investimentos em filmes brasileiros à medida que o Ressurgimento do Brasil – recuperação econômica e cultural – decola.

1997

  • É fundada a Globo Filmes. Relembra Daniel Filho, seu orientador, nos primeiros anos: “Comecei trabalhando na TV Globo, mas sempre dizia: ‘Quero fazer cinema’. Eu estava prestes a fechar contrato com o exibidor Luis Severiano Ribeiro para lançar uma produtora de cinema quando recebi uma ligação da Globo para lançar a Globo Filmes. Concordei: a Globo tinha que fazer o que os canais franceses e britânicos estavam fazendo: participar de filmes.”

Dezembro de 1998

  • Criada sob a direção artística e orientação do diretor Daniel Filho, a Globo Filmes lança seu primeiro longa, “Simão, O Fantasma Trapalhão”, inspirado em “O Fantasma de Canterville”, de Oscar Wilde. “A Globo Filmes ampliou e acelerou a recuperação do cinema brasileiro”, afirma Simone Oliveira, diretora da Globo Filmes.

2000

  • Um spin-off da série de TV Globo em quatro partes, “A Dog’s Will”, de Guel Arraes, sobre dois jovens golpistas no Nordeste pobre do Brasil da década de 1930, ganha mais de US$ 5,5 milhões em 12 semanas, um Ressurgimento recorde de bilheteria do cinema brasileiro.

2001

  • Lançamento da agência cinematográfica brasileira Ancine.

2002

  • “Cidade de Deus”, de Fernando Meirelles, coprodução da Globo Filmes, é exibido fora de competição em Cannes e recebe quatro indicações ao Oscar 2004.

2003

  • “Carandiru”, de Hector Babenco, vende 4,6 milhões de ingressos no Brasil e disputa competição em Cannes.

2005

  • A cinebiografia “2 Filhos de Francisco”, filme estrangeiro do Brasil no Oscar, vendeu um recorde de mais de 5,3 milhões de ingressos, ocupando o primeiro lugar do Brasil nas bilheterias de 2005 e superando todos os sucessos de bilheteria de Hollywood. Conspiração produziu o hit.
  • Aclamado pela Variety como “uma obra de cinema total”, o filme de Andrucha Waddington “A Casa de Areia”, produzido pela Conspiração, é adquirido para a América do Norte pela Sony Pictures Classics.

2006

  • O Fundo Setorial do Audiovisual da Ancine cresce, tornando-se o maior fundo nacional de cinema e TV da América Latina, fornecendo incentivos em toda a cadeia de valor e concentrando-se predominantemente em filmes de arte.

2007

  • Coproduzido com Gullane, “O ano em que meus pais saíram de férias” é exibido na competição principal do Festival de Cinema de Berlim.

2008

  • O governo do Brasil aprova uma nova lei audiovisual: o Artigo 3A da lei permite que a Globo Filmes aproveite incentivos fiscais para investir em longas-metragens.

2009

  • “If I Were You” e sua sequência marcaram 9,7 milhões de espectadores. provando o título de maior sucesso da Globo Filmes de Daniel Filho, que dirige um total de 12 títulos para a Globo Filmes.

2010

  • “Esquadrão de Elite 2: O Inimigo Interior”, exibido no Sundance Fest, conta com 11,3 milhões de espectadores, tornando-se o maior sucesso do Brasil nos anos 2000.

2012

  • Blockbuster da Globo Filmes “A Mulher Invisível” gera série de TV aberta, que vence o Prêmio Internacional. Prêmio Emmy de série de comédia, o primeiro do Brasil.

2015

  • Lançamento do serviço de streaming da Globo Globoplay, abrindo uma nova fonte de cofinanciamento para títulos GF, fundamental durante a pandemia e o governo Bolsonaro, diz Oliveira.
  • “A Segunda Mãe”, de Anna Muylaert, produzido por Gullane, leva o Prêmio Especial do Júri do Sundance por atuação, ganho por Regina Casé e Camila Márdila.

2016

  • A Globo Filmes faz parceria com o Canal Globo, da Globo, para produzir filmes infanto-juvenis.

2017

  • O drama de hospital público “Under Pressure”, de Conspiração, dá origem a um spin-off de cinco temporadas de enorme sucesso, exibido no Toronto Intl. Festival de Cinema.

2019

  • “Minha Mãe é Personagem 3”, estrelado por Paulo Gustavo, vende 11,5 milhões de ingressos, tornando-se o maior sucesso de bilheteria da Globo Filmes.
  • Netflix lança seu primeiro longa original brasileiro, a comédia de sucesso “Modo Avião”. “Com os streamers globais temos que brigar por um filme, mas muitas vezes ganhamos, não pelo dinheiro, mas pelo marketing que podemos colocar em um filme”, afirma Oliveira.
  • “Bacurau”, de Mendonça-Filho, ganha Grande Prêmio do Júri em Cannes.

2021

  • Dirigido por Wagner Moura, “Marighella” é exibido fora de competição em Berlim.

2023

  • Produzido com a Biônica Filmes, “Toll”, de Carolina Markowicz, parte de uma empolgante geração jovem de diretoras brasileiras, estreia em Toronto.

2024

  • Dirigido por Susana Garcia, “Minha Irmã e Eu” registra 2,2 milhões de ingressos, tornando-se o filme pós-pandemia de maior bilheteria do Brasil.
  • O diretor de “Firebrand”, Karim Aïnouz, volta a figurar na competição de Cannes com “Motel Destino”, coproduzido com Gullane, no momento em que a Globo Filmes completa 25 anos.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *