Introdução

As infecções do trato inferior são uma das maiores causas de mortalidade no mundo, especialmente nos extremos de idade, ou seja, crianças e idosos.1 Ó Estudo sobre a carga global de doenças 2019 estima-se que no referido ano ocorreram 489 milhões de casos, com 2,5 milhões de mortes em nível global.1 Há uma tendência de redução na incidência e morte nas crianças, entretanto, com o envelhecimento da população, o número de casos e óbitos nos adultos, sobretudo em idosos acima de 70 anos, encontra-se em ascensão.1 Um estudo nos Estados Unidos evidenciou que a mortalidade em adultos hospitalizados por pneumonia pode chegar ao valor expressivo de 30,6% em 1 ano.2

O controle de fatores de risco como tabagismo, uso de álcool e poluição ambiental,1 além do seguimento adequado de doenças crônicas cardiovasculares, respiratórias e neurológicas é fundamental para redução da incidência da doença,1,3 porém a prevenção por meio da vacinação também é essencial.1,3

Neste artigo vamos discutir sobre a importância da vacinação pneumocócica na prevenção dessa condição tão comum e de alta morbimortalidade, com foco na vacina pneumocócica conjugada 13-valente (VPC13).

As vacinas disponíveis

Ó Streptococcus pneumoniae ainda é o agente etiológico mais comum nas pneumonias adquiridas na comunidade (PAC), sendo encontrado em 33-50% dos casos em que a etiologia é estabelecida.4 Também é o agente mais comum relacionado a casos mais graves, que levam a sepse, internação em Unidade de Terapia Intensiva e necessidade de ventilação mecânica.5

Para prevenir infecções do trato inferior e doenças invasivas causadas pelo S. pneumoniaedispomos de dois grupos de vacina: as vacinas polissacarídicas, como a 23-valente (VPP23),6 e as vacinas conjugadas, dentre elas a 10-valente (VPC10), a 13-valente (VPC13) e a 15-valente (VPC15).7

As vacinas polissacarídicas são compostas por polissacarídeos capsulares pneumocócicos parcialmente purificados, e induzem uma resposta humoral por mecanismos independentes de células T, de forma que não criam memória imunológica. Já as vacinas conjugadas, consistem em polissacarídeos capsulares pneumocócicos ligados a uma proteína, com capacidade de ativação de células T e formação de linfócitos B de memória, promovendo uma proteção mais significativa e duradoura.8

Evidências para o uso da vacina pneumocócica conjugada 13-valente no adulto

A VPC13 inclui polissacarídeos dos sorotipos 1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F, e 23F individualmente ligados a um material de ocorrência cruzada de toxina diftérica não tóxica, a proteína 197.9

O estudo CAPITA (Ensaio de imunização contra pneumonia adquirida na comunidade em adultos) foi um ensaio clínico randomizado e duplo-cego que comparou a eficácia do VPC13 com placebo em uma população de 84.496 adultos, em um seguimento médio de quase 4 anos na Holanda. O grupo de intervenção apresentou menor número de eventos de PAC causados ​​por algum sorotipo coberto pela vacina, com eficácia de 45,6%. Além disso, houve também redução nos casos de doença pneumocócica invasiva pelos referidos sorotipos.9

Estudos de eficácia das vacinas conjugadas na Inglaterra (vacina pneumocócica conjugada 7-valente (VPC7) seguida de VPC13) obtiveram uma redução de 56% na incidência de doença pneumocócica invasiva,10 assim como redução no total de eventos de pneumonia e sepse de origem pneumocócica na população geral.11

Outro ponto importante em relação ao VPC13 é que, quando comparado ao VPP23, oferece uma melhor resposta imunológica se utilizada como dose inicial, independente se seguida de nova dose de VPC13 ou dose de VPP23.12

A VPC13 declarou ainda boa tolerância e segurança. Não houve, no CAPITA, nenhum efeito colateral grave relacionado à vacina. Os efeitos adversos mais comuns foram reações locais e dor muscular, porém tanto estes quanto os efeitos sistêmicos foram leves a moderados.9

Esquema proposto pela Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm)

A Sociedade Brasileira de Imunizações recomenda para todos os indivíduos com mais de 60 anos:

  • Uma dose de VPC13 ou VPC15;
  • Uma dose de VPP23 6-12 meses após;
  • Segunda dose de VPP23 5 anos após a primeira.13

Para aqueles que já receberam uma ou duas doses de VPP23, recomenda-se uma dose de VPC13 um ano após a última aplicação de VPP23.13

Adultos com menos de 60 anos devem ser avaliados individualmente pelo médico para indicação do esquema vacinal, que devem ser recomendados naquelas com doenças crônicas como diabetes mellitus, cardiopatias crônicas, pneumopatias crônicas, doença renal crônica, asplenia anatômica ou funcional e imunossupressão.14

É importante ressaltar que as vacinas pneumocócicas podem ser aplicadas simultaneamente à vacina contra o vírus da Influenza 15 e, tanto o VPP23 quanto o VPC13 apresentam como contraindicação apenas a história de ocorrência anterior de hipersensibilidade imediata (anafilaxia) à vacina. 15

O que o SUS disponibiliza?

O Sistema Único de Saúde não disponibiliza exatamente o esquema proposto acima. A VPC13 é aplicada em adultos nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (CRIE), seguida da VPP23 (após 8 semanas), nas seguintes condições: pessoas vivendo com HIV/AIDS, pacientes oncológicos (até alta médica), transplantados de órgãos sólidos ou de células-tronco hematopoiéticas, asplenia anatômica ou funcional e doenças relacionadas, imunodeficiências primárias ou erros inatos de imunidade, fibrose cística e fístula líquida ou derivação ventrículo peritoneal. 15

O esquema de duas doses de VPP23 é oferecido para adultos nas seguintes situações: imunodeficiência por imunossupressão terapêutica, implante coclear, nefropatia crônica/ síndrome nefrótica, pneumopatia crônica (exceto asma intermitente ou persistente leve), cardiopatias crônicas, hepatopatias crônicas, doenças neurológicas incapacitantes, trissomias, diabetes e doenças de depósito. 15

Conclusão

O envelhecimento progressivo da população mundial traz à tona preocupações com doenças mais prevalentes em idosos. A pneumonia, ainda em sua maioria causada por infecção pneumocócica,4 é uma das grandes causas de morbimortalidade na população geral, e em especial nesse grupo de pacientes.1 A mortalidade em 1 ano de adultos internados por pneumonia chega a valores de 30%.2 Medidas preventivas são essenciais, e a vacina pneumocócica é um dos grandes pilares na prevenção. O desenvolvimento das vacinas conjugadas trouxe melhores respostas vacinais e com memória imunológica.8 A VPC13 demonstrou eficácia e segurança séria,9 sendo recomendado como dose inicial no esquema para adultos no Brasil, que deve ser oferecido especialmente para idosos e pessoas com comorbidades.13,15 Cabe a nós médicos, principalmente pneumologistas, saber orientar especificamente nossos pacientes para que estejam devidamente protegidos da doença pneumocócica e com menor risco de complicações graves.

Informações do patrocinador:

Acesse a bula de Prevenar 13® (vacina pneumocócica 13-valente conjugada) aqui.

PP-PRV-BRA-0215 ​​– Dezembro 2023

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *