Advogado afirma que ainda não teve acesso ao inquérito e considerou fundamentos para pedido

Advogado no Centro de Triagem Anísio Lima, onde o vereador está preso (Foto: Paulo Francis)

O vereador Cláudio Serra Filho, o “Claudinho Serra” (PSDB), preso na manhã desta quarta-feira (3) sob suspeita de participação em um esquema milionário de corrupção em Sidrolândia, a 70 quilômetros de Campo Grande, passou a noite no presídio enquanto sua defesa não tem previsão de solicitar sua liberdade. Segundo o advogado Jeferson Borges, representante do parlamentar, eles ainda não tiveram acesso ao inquérito, o que dificulta a formulação do pedido de liberdade.

“Ainda não tivemos acesso ao inquérito, então primeiro ligue lá no cartório de Sidrolândia para eles cadastrarem a gente nos autos. Não sabemos ainda do que se trata o conteúdo e a decisão do pedido de prisão, não sabemos ainda, mas já conseguimos juntar na procuração” , comentou o advogado, que esteve no Centro de Triagem Anísio Lima onde o vereador está preso.

A defesa ressaltou que não teve contato com o vereador acusado de corrupção e só fingiu fazê-lo após ter acesso aos autos do processo. O advogado também esclareceu que não será possível solicitar imediatamente a liberdade de Claudinho Serra, pois a defesa precisa conhecer os fundamentos da prisão para rebatê-los de maneira adequada.

“A gente precisa conhecer a decisão, então hoje e amanhã quase certeza de que não vai ter ainda o pedido de liberdade, porque a gente precisa se inteirar do caso e saber quais são os fundamentos e rebater esses fundamentos. Então, pedido de liberdade ou fica para o final da semana ou ainda para a semana que vem”, afirmou Borges.

Ainda na tarde de hoje, alguns familiares do vereador se dirigiram ao presídio em busca de informações e tentativas de contato com o preso. Até o momento, não foram levados itens pessoais e de higiene, como roupas e colchão, para Cláudio Serra na prisão.

"Frescura"  chegando algemado ao presídio (Foto: Paulo Francis)
“Frescura” chegando algemado ao presídio (Foto: Paulo Francis)

Além do parlamentar, foi preso durante ação que investiga fraudes em contratos milionários da Prefeitura de Sidrolândia o advogado Milton Matheus Paiva Matos, que chegou por volta das 13h no presídio militar de Campo Grande. O advogado desceu sem algemas com uma equipe do Gaeco e foi levado para a detenção.

O chefe de licitação da Prefeitura de Sidrolândia, Marcus Vinícius, e o empresário Ueverton da Silva Macedo, o “Frescura”, foram encaminhados para o Presídio de Trânsito de Campo Grande. Ambos chegaram algemados escoltados pelas equipes do Choque. A servidora Ana Paula Flores foi levada para o Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi” por uma equipe do Gaeco.

Operação Tromper – O vereador Cláudio Serra e os demais envolvidos foram presos como parte da terceira fase da Operação Tromper, deflagrada pelo Gecoc (Grupo Especial de Combate à Corrupção) e Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado). Esta fase da operação cumpriu 8 mandados de prisão e 28 de busca e apreensão, revelando acusações de uma organização criminosa externa para fraudes em licitações e contratos administrativos, principalmente relacionados à Prefeitura Municipal de Sidrolândia. Os contratos sob investigação totalizam aproximadamente R$ 15 milhões e envolvem áreas como engenharia e pavimentação asfáltica.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal fazer Notícias Campo Grande e siga nossos redes sociais.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *