Churrascaria ainda analisa possíveis prejuízos para entrar na Justiça contra vizinho

Fazenda Churrascada, no Bairro Jardim Veraneio (Foto: Henrique Kawaminami)

O advogado da Fazenda Churrascada, no Bairro Jardim Veraneio, Lucas Mochi, disse ao Notícias Campo Grande que o vizinho e algoz do restaurante instalou 16 buzinas para fazer barulho e reviver o som da música ao vivo tocada no empreendimento.

Segundo ele, a casa ainda analisa se a atitude do vizinho sofreu algum tipo de prejuízo para avaliar se será necessário ou não uma medida legal. “Nós temos todas as licenças e alvarás. Ou seja, estivemos presentes dentro da lei. Se ele estava incomodado, então porque não conseguiu meios legais. A verdade é que ele abusou de um eventual direito que achou que tinha enquanto tentava cercear o nosso direito que estava sendo exercido corretamente”.

Ainda segundo Lucas, a churrascaria chegou a contratar uma perícia particular para provar que atuava dentro dos parâmetros legais quando o assunto é tal. Até reunião com outros vizinhos do mesmo condomínio foi feito.

“Nessa reunião, eles solicitaram uma série de medidas que nem precisariam atender, porque já estávamos dentro da lei, mas para manter uma boa convivência, colocamos algumas coberturas para proteger-los mais do som”, finalizou.

Muro do vizinho da Fazenda Churrascada (Foto: Henrique Kawaminami)
Muro do vizinho da Fazenda Churrascada (Foto: Henrique Kawaminami)

Confusão pelo barulho

Tudo começou há três semanas, quando o som do alarme do vizinho começou e só teve fim com a presença da Polícia Militar no endereço. Até uma espécie de amplificador foi colocada no muro para o transtorno ganhar proporções ainda maiores.

O atrito em questão começou após a vizinha reclamação da música ao vivo da churrascaria, que funciona no horário de almoço e jantar durante a semana e aos fins de semana. A permissão do morador, segundo o empresário, é em relação ao som ao vivo no período noturno.

A casa do vizinho fica ao lado do empreendimento, dividindo muro com a área que é usada como estacionamento. A reportagem tentou contato com o morador, mas não obteve resposta.

By admin

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *